MENU

terça-feira, 15 de agosto de 2017

A VOCAÇÃO QUE VEIO DENTRO DO PEITO


Algumas pessoas nascem com a vocação para ser engenheira, arquiteta ou pedreiro e constroem os melhores prédios e casas. Outras nascem para ser advogadas, jornalistas, médicas, músicas. Têm umas pessoas que já nascem sabendo preparar os pratos mais gostosos ou costurar as mais belas roupas.

E, há aquelas pessoas que nascem para ser a voz dos que não têm voz, para lutar pela libertação dos oprimidos, para combater a exclusão em todas as suas formas, para denunciar o que está errado e anunciar o que de bom precisa ser feito.  Essas pessoas são chamadas de profetas e dedicam a sua vida à promoção de uma vida digna para todos.


Dom Helder Camara era o profeta do século XX que viajou pelo mundo denunciando as arbitrariedades da ditadura militar no Brasil. Falava das mortes, dos desaparecimentos, da tortura aos que se opunham ao regime, clamando por justiça.

Denunciava ainda a fome e a miséria que matava e ainda mata Brasil afora, sonhando com um ano 2000 sem miséria. Voltou para a casa do Pai um ano antes, em 1999, sem sequer ter a alegria de ver seu sonhos está perto de ser realizado. E, 17 anos depois,  seu tão sonhado prazo para o fim da miséria parece estar ainda muito longe.


Mas, o sonho de criança, ele conseguiu realizar: ser padre. Hoje, 15 de agosto, celebramos os 86 anos da ordenação de um jovem que, aos 22 anos, precisou de uma licença especial do Vaticano para ser ordenado, devido a sua pouca idade. Nascia, naquele dia, um verdadeiro pastor, que soube cuidar de suas ovelhas com amor, carinho e dedicação.


Hoje é, portanto, dia de agradecer a Deus pela graça que nos foi dada deter esse pastor conduzindo a nossa Arquidiocese por 21 anos e por ter permanecido aqui, conosco por 35 anos.

Que o seu exemplo de vida e sacerdócio seja sempre inspiração para todos aqueles que escolheram dedicar a sua vida ao irmão.


quarta-feira, 9 de agosto de 2017

ATUALIDADES - A HOLANDA PERTINHO DE DOM HELDER

Katinka Coenen e o Pe. Leonardo Mouës, membros da diretoria dos lazaristas na Holanda vieram, recentemente, ao Brasil, para participar das comemorações do aniversário de 90 anos do início oficial da atuação dos padres lazaristas holandeses no nordeste e dos 50 anos da fundação da província de Fortaleza da Congregação da Missão.

Mas não queriam retornar à Holanda sem antes conhecer o “chão” de Dom Helder, ex-aluno dos lazaristas e, desde 1987, agregado à Congregação de São Vicente. Por isso estiveram também visitando o Recife, onde em anos passados, vários lazaristas holandeses viveram e trabalharam, como o nosso querido Padre João Pubben, hoje morando em sua Holanda natal.

Em sua visita ao Recife foram acompanhados pelo casal Claudete e Geraldo Frencken, fundador do grupo Dom Helder do Ceará, residente em Fortaleza. Geraldo, também holandês, da cidade de Helden, foi o intérprete deles durante a visita. E foram ciceroneados por Irmã Vanda, que os acompanhou durante todas as visitas.






A apresentação ao “chão” do Dom começou pela Casa de Frei Francisco, na quinta-feira 03 de agosto, onde foram recebidos por sua coordenadora Giselle Carvalho e pelos adolescentes com muita festa e alegria.




A visita teve também uma parada para conhecer o “chão” de Pe. João, Dois Unidos, onde também foram recebidos com muita emoção pela comunidade que teve a alegria de conviver com Pe. João, Ir. Priscila Bezerra(1968 a 1998) e, a partir da doença de Ir. Priscila, contou também com a colaboração de Irmã Vanda.



Na sexta-feira, 04, foi a vez de conhecer o outro pedaço do IDHeC: o CEDOHC e o Memorial Dom Helder Camara, onde, guiados pela historiadora do IDHeC, Lucy Pina, puderam aprender um pouco mais sobre a vida de Dom Helder, sua trajetória histórica e a casinha onde viveu até sua partida, em 27 de agosto de 1999.





A visita foi encerrada na celebração eucarística dos domingos na igreja das Fronteiras, que contou com a concelebração de Pe. Leonardo, ao lado de Pe. José Augusto.



Para contar a história dos lazaristas no nordeste Geraldo Frencken escreveu o livro “Em missão: os padres da Congregação da Missão (lazaristas) no nordeste e norte do Brasil”, que fala desde meados do século XIX. O livro fala sobre a influência destes padres nas áreas urbanas e rurais do Norte e Nordeste; na formação de futuros padres nestas duas regiões do Brasil e na promoção humana em diversos setores da vida do povo.

As pesquisas realizadas pelo autor se baseiam em vasta documentação, teses universitárias e depoimentos pessoais, orais e escritos, que mostram, para os leitores, o quanto os padres lazaristas influenciaram a cultura brasileira no século XIX.

Com certeza Katinka Coenen e o Pe. Leonardo Mouës terão muitas histórias para conversar ao voltar para a Holanda, levando para Pe. João Pubben um pouquinho desse Recife que, agradecido por sua passagem por aqui, segue sentindo saudade.

GALERIA DE FOTOS

As fotos postadas aqui foram uma colaboração de Ir. Vanda, Gersino, Comunidade de Dois Unidos. 

CASA DE FREI FRANCISCO


DOIS UNIDOS

MEMORIAL DOM HELDER CAMARA

CELEBRAÇÃO EUCARÍSTICA


quinta-feira, 3 de agosto de 2017

CASA DE FREI FRANCISCO: LEVANDO ADIANTE O SONHO DE DOM HELDER NA FORMAÇÃO DE ADOLESCENTES

Para que todos possam conhecer um pouco mais das atividades sociais do IDHeC vamos, a partir de hoje, falar sobre a Casa de Frei Francisco, de suas atividades e de seu excelente trabalho com adolescentes das comunidades do Coque e Joana Bezerra.

Construída com o dinheiro de prêmios internacionais que Dom Helder recebeu e chamada por ele de Casa de Frei Francisco, tornou-se o braço social da então Obras de Frei Francisco, hoje IDHeC.


Inicialmente foi pensada por Dom Helder para ser um albergue para moradores de rua, onde era oferecido acolhimento fraterno, alimentação e banho.

Posteriormente passou a acolher crianças e jovens das comunidades vizinhas em situação de risco social.

Atualmente a  Casa de Frei Francisco oferece oficinas, para 94 adolescentes, no contra turno escolar, de segunda a quinta.

Os  adolescentes fazem 2 refeições por dia: um lanche frio (leite, biscoito, bolacha,  etc) na entrada, e uma refeição quente (carne, frango, arroz, feijão, macarrão, etc) na saída.

OFICINAS REALIZADAS

- Oficina de Leitura  ( Rosangela)
- Oficina de Raciocínio Lógico  (Rosangela)
- Oficina de Orientação Profissional (Virgínia)
- Oficina de Educação Sexual ( Virgínia)
- Oficina de Informática (Tércio)

REUNIÃO MENSAL PARA OS PAIS/RESPONSÁVEIS

Mensalmente acontece a reunião de pais/responsáveis onde são colocados os objetivos  da Casa de Frei Francisco, explicando a metodologia desenvolvida, os projetos em andamento, suas necessidades, além da importância dos pais na educação dos filhos. No primeiro semestre foram realizadas 06 reuniões.


Reunião com pais ou responsáveis

ANIVERSARIANTES DO MÊS

Na última quinta-feira do bimestre é realizada a festa de aniversário, como forma de valorizar a vida.

Nesta festa têm brincadeiras, músicas, além de lanche especial (bolo, refrigerantes, cachorro quente, etc). No primeiro semestre foram realizadas três festas.


Aniversariantes do mês



Festa com a família


CONTRATO DE CONVIVÊNCIA

No início de cada semestre é elaborado em cada turma um contrato de convivência onde os adolescentes discutem com seu educador (a) o que podem e o que não podem fazer em sala e na Casa de Frei Francisco. Um dos objetivos deste instrumento é que eles possam levar novas regras e conceitos de convivência para sua vida (na rua, na escola, em casa).

PSICOSSOCIAL

Visitas Domiciliares
Cadastro Social
Escuta Social e Psicológica (adolescentes e Famílias)
Movimentação de adolescentes
Busca ativa
Acompanhamento Jovem Aprendiz

JOVEM APRENDIZ

A Casa de Frei Francisco não é uma entidade formadora legalmente credenciada para a inserção de menores pela Lei da Aprendizagem. No entanto, vem preparando jovens para serem absorvidos pelas entidades como a Escola Dom Bosco, o CIEE, Mauricio de Nassau e a OAF.
 Neste PRIMEIRO semestre foram encaminhados 16 adolescentes, sendo 04 aprovados.


Confira mais sobre a Casa de Frei Francisco em: 

sexta-feira, 28 de julho de 2017

ATUALIDADES: IDHeC RECEBE VISITA DE Pe. BARONTO

Na quarta-feira 19 de julho o IDHeC recebeu uma visita muito querida: o Pe. Luiz Eduardo Baronto, que reside, atualmente, na cidade de São Paulo.

Cura da Catedral Metropolitana Nossa Senhora Assunção, a Sé de São Paulo, professor da Universidade São Judas e redator do Folheto Litúrgico Povo de Deus, o Pe. Baronto, como é conhecido, conviveu com Dom Helder, quando morava em Recife e tem por ele um grande carinho e admiração.

Rever a Casa Museu, onde tantas vezes se encontrou com Dom Helder o emocionou e trouxe à memória lembranças dos tempos em que o Dom ainda estava entre nós.


O Pe. Baronto participou um pouco da reunião semanal da diretoria do IDHeC e contou, com muito entusiasmo e emoção, como foi a apresentação da Sinfonia dos Dois Mundos em São Paulo, no dia 25 de junho, na Catedral da Sé de São Paulo, articulada por ele (ver matéria postada em 29 de junho: http://institutodomhelder.blogspot.com.br/2017/06/atualidades-sinfonia-que-redime-os.html).

A Sinfonia foi executada na íntegra para um público de mais de duas mil pessoas, que, lotou a Catedral e se emocionou com a apresentação, patrocinada pela empresa de água de São Paulo.

E não apenas o público se emocionou. O maestro Martinho Lutero de Oliveira também se emocionou e comentou que qualquer se sentiria honrado de estar em seu lugar, apresentando aquela belíssima sinfonia. Com a mais absoluta certeza a apresentação foi um sucesso total.

O Pe. Baronto disse ainda que todas as partituras da Sinfonia foram digitalizadas, o que é mais um avanço na preservação dessa maravilhosa obra para orquestra, solista e coro, com música do compositor suíço Pierre Kaelin, criada durante o Concílio Vaticano II, em 1962 e texto de Dom Helder Camara, uma longa meditação escrita em francês, em 1979.


A TV Cultura de São Paulo filmou todo o concerto e irá exibir no dia 13 de agosto às 07h da manhã. É uma excelente oportunidade para assistir e gravar. A duração é de 1h30min.

O Pe. Baronto , em viagem recente à Itália, teve a indescritível oportunidade de estar com o papa Francisco e de lhe falar um pouco sobre o seu trabalho com os moradores de rua de São Paulo. Foi mais uma emoção que teve o privilégio de viver.

Ao final da visita, com sua simpatia e alegria de viver, animou a todos a continuar firmes da luta, seguindo os passos de Dom Helder.